Assassin’s Creed: Um tanto de fantasia mas não muito longe da realidade

assassins creed

“Inspirado em eventos e personagens históricos. Esta obra de ficção foi projetada, desenvolvida e produzida por uma equipe multicultural de diferentes crenças e religiões”.

É assim que sempre se inicia um jogo da série Assassin’s Creed, uma das mais aclamadas franquias dos videogames nos últimos anos. Muito provavelmente para evitar maiores dores de cabeça por parte de governos e instituições religiosas. Assassin’s Creed é uma série conhecida por abordar diversos temas históricos que envolvem bastante política e religião com um enredo bastante original além de ser uma das poucas séries de videogames que a cada jogo lançado consegue manter sua qualidade. Apenas o último game da saga, Black Flag,  já vendeu cerca de 10 milhões de cópias. Se somarmos esse montante com as vendas dos jogos anteriores não fica difícil entender que é um sucesso absoluto.

No primeiro game da saga começamos a jogar com Desmond Miles, um barman que foi sequestrado pela corporação Abstergo. Tal corporação mantém Desmond em cativeiro aos cuidados do doutor Warren Vidic e sua assistente Lucy Stillman. Segundo o dr. Vidic, os antepassados de Desmond foram da Ordem dos Assassinos, grupo que através de suas crenças buscavam a paz com o assassinato de pessoas influentes que poderiam representar alguma ameaça para o povo. Desmond é obrigado a entrar em uma máquina chamada Animus, que o faz reviver seu antepassado Altaïr Ibn-La’Ahad,  membro da Irmandade Levantina dos Assassinos e Mestre Assassino que viveu na Síria no século 12. Desmond é obrigado a reviver seu antepassado com o propósito de Altaïr indicar a localização dos Pedaços do Éden, poderosos artefatos que tem o poder de controlar a mente humana.

Os principais inimigos dos Assassinos são os Templários, organização religiosa e militar e que ao descobrirem os Pedaços do Éden buscam maior poder político e controle sobre a população.

Esse foi um “pequeno” resumo do primeiro jogo da série do qual vou me aprofundar em seus fatos históricos. Então vamo que vamo!

Hassan e a Ordem dos Assassinos

Hassan Sabbah

Muitas pessoas não sabem mas a Ordem dos Assassinos existiu de verdade. Foi uma seita criada por  Hassan Ibn Sabbah para difundir uma nova vertente do Ismaelismo, doutrina religiosa do Oriente Médio. Hassan era conhecido como “O Velho da Montanha”, muito provavelmente por sua base ser em Alamut, fortaleza localizada no Irã que se situava em um penhasco, tornando o seu acesso bastante difícil e estratégico. Hassan também manteve seguidores na Síria e no Iraque a fim de espalhar influência.

Os Assassinos andavam na fortaleza de Alamut vestidos em trajes brancos com um laço vermelho na cintura, exatamente como retratado no game. A diferença é que quando faziam uma investigação em cidades próximas se disfarçavam em meio a multidão adotando outros trajes, no que foi difundido historicamente de que eles preferiam se misturar entre os mendigos, vestindo-se como eles afim de evitar olhares desconfiados. Eles também andavam em grupos de três (como é mostrado no comecinho do jogo) e faziam uso de adagas e veneno. Nem sempre matavam suas vítimas mas as ameaçavam deixando uma adaga com um aviso para que não os contrariassem.

Também circulam algumas informações de que os Assassinos eram tão leais e determinados que há uma história de que Hassan mandou um de seus homens se suicidar afim de impressionar um emir (chefes ou nobres do Oriente Médio), ordem devidamente cumprida. Podemos fazer um paralelo com uma das primeiras cenas do jogo (e uma das mais memoráveis) quando o mestre de Altaïr, Al Mualim diz ao Templário Robert de Sablé que seus homens não temem a morte, pedindo para que alguns deles que pulassem de cima de uma torre, em uma manobra para enganá-lo e fazer com que ele e seus homens caiam numa armadilha. Encontrei a cena legendada e na minha opinião é uma das cenas mais impressionantes dos games:

Templários e as Cruzadas

templários

A Ordem dos Templários foi criada em 1118  pelo francês Hugo de Payens afim de proteger peregrinos que iam para Jerusalém, além de expandir o cristianismo em uma região dominada por muçulmanos. Os Templários são bem famosos e muito provavelmente são conhecido por você (seja numa vaga aula de história ou em um programa do History Channel) sobretudo por causa das Cruzadas, principal assunto que abordam sobre a ordem.

cruz templários

As Cruzadas foram missões militares cristãs em que Cavaleiros Hospitalários e Templários, ambos criados na mesma época, tinham como missão conquistar e ocupar a Terra Santa (Palestina) e Jerusalém, dominada por turcos muçulmanos. Não eram nada mais do que guerras santas, mas receberam esse nome devido ao uniformes dos cavaleiros possuírem uma cruz estampada em seus peitos. Só para lembrar que historicamente ocorreram nove cruzadas e Assassin’s Creed 1 se passa na época da Terceira Cruzada, logo após o sultão Saladino retomar Jerusalém e expulsar os cristãos. O principal comandante da Terceira Cruzada foi Ricardo I ou Ricardo Coração de Leão, Rei da Inglaterra na época (1189) e no game rola uma conspiração entre Templários para com Ricardo para a retomada de Jerusalém.

Nova Ordem Mundial

dólar

A Nova Ordem Mundial é uma teoria conspiratória que prega que diversos eventos históricos foram cuidadosamente planejados por um pequeno grupo secreto de pessoas muito poderosas afim de criar um sistema único de governo, religião e sistema. Uma ideia que visa unir todos os povos mas que também vai contra todo o conceito de liberdade de escolha e democracia.

O teoria mais famosa sobre a Nova Ordem Mundial se refere aos Illuminati, usada para descrever grupos secretos que supostamente estão envolvidos em eventos e assuntos de Estado de diversos países. O nome vem dos Illuminati da Baviera, grupo secreto que surgiu em 1776 na Alemanha por livres-pensadores e nobres e que em sua dissolução  em 1784 foram encontrados documentos que revelavam os planos de seus membros, que era a conquista mundial. Em seus poucos anos de existência os Illuminati conseguiram espalhar sua influência pela Europa devido a algumas alianças e contatos por parte de seus membros, compostos por nobres.

O grupo foi criado pelo professor de lei canónica Adam Weishaupt e pelo barão Adolph von Knigge, da foto abaixo. Repare no símbolo de seu casaco. Seria uma cruz templária? Sou um tanto quanto leigo em História e é apenas um detalhe e visão que compartilho com vocês. Claro que pode não ter nada a ver com nada mas achei coerente jogar esse meu palpite.

Knigge Freiherr

As teorias conspiratórias dizem que o grupo não acabou e veio agindo nas sombras desde então, fundindo-se a grupos mais modernos como a maçonaria,  que prega a fraternidade e prosperidade entre os seus membros. Mas o que isso tem a ver com Assassin’s Creed? Simples. É provável que os Templários tenham sido os precursores dos Illuminati e de um grupo que visava criar a Nova Ordem Mundial.

Voltando agora aos Templários tal grupo em sua origem se situava nas ruínas do Templo de Salomão. É dito historicamente que o grupo achou um tesouro nas ruínas, além de conseguir mais poder por parte de seus simpatizantes com a doação de territórios pela Europa, acumulando riquezas e gerando simpatia e proteção do próprio papa, Inocêncio II na época, declarando que os Templários não deviam obediência a mais ninguém senão ao papa. Ao passar dos anos os demais papas atribuem privilégios ao grupo como isenção de impostos e proteção.

Então em 1307, o Rei Filipe IV de França orquestrou um plano para extinguir os Templários de olho em suas riquezas, acusando-os de heresia e adquirindo todos os bens do grupo. É dito que os Templários e Filipe IV criaram as raízes do sistema bancário, sistema que segundo as teorias conspiratórias faz a sociedade ser controlada através da dívida, e que o símbolo Illuminati consta na nota de um dólar, que é o olho que tudo vê em cima de uma pirâmide. Também é dito que apesar dos Templários terem sido extinguidos nessa época eles vieram agindo secretamente, com o mesmo propósito dos Illuminati.

Em Assassin’s Creed 1 não importa o que Altair faça cada inimigo que ele derruba fala sobre uma certa fraternidade e um “novo mundo” e que ele não tem como parar isso.

abu'l nuquod    William de Montferrat

Origem da palavra “Assassino”

01x/21/Diry/15103/08

Há várias explicações para isso mas todas de uma mesma origem: a própria Ordem dos Assassinos. Algumas explicações dizem que a palavra se originou de “Assass” que seriam os fundamentos da fé islâmica. Hassan chamava seus discípulos de Asasyun, que seriam os seguidores desses fundamentos.

Outra fonte diria que veio de “haschichiyun” que significa “fumador de haxixe”. Tal palavra tem sonoridade muita parecida com Asasyun o que historicamente causou confusão por parte de viajantes estrangeiros, sobretudo Marco Polo, famoso explorador italiano que em seus relatos difundiu este termo no Ocidente e que algumas fontes cristãs da época aumentaram mais ainda, relatando que os Assassinos consumiam haxixe antes de executarem suas missões, o que me faz acreditar que essa informação “a mais” era exatamente para denegrir a Ordem. Marco Polo é esse cara barbudo aí da foto só pra lembrar.

Há também uma terceira explicação de que Assassino se originou de Hashashin que seria “seguidor de Hassan”. E também mais uma vez deixo meu palpite e cabe a reflexão de que “assassino” é uma coisa e “homicida” é outra. Muito provavelmente nos dias atuais os dois são sinônimos graças ao desencontro de informações não apuradas e acuradas historicamente.  E quanto a questão do haxixe ela é levemente abordada no jogo em uma conversa de Altair com seu mestre Al Mualim:

assassins creed ervas assassins creed ervas2

Papo Furado

Aqui termina meu texto sobre Assassin’s Creed 1. Fiz por causa de uma sugestão de um amigo e ainda não tinha jogado nenhum da série (afff). Comecei jogando o 2 e vi que o 1 tinham mais coisas a serem abordadas, o que me deixou todo enrolado para pesquisar e escrever esse texto, além do fato de que voltei a trabalhar (uhuul).

Diversas informações decidi mastigar interligando-os pra deixar uma leitura mais fácil de compreender. Como eu pesquisava uma coisa e aparecia outra que tinha a ver ficou esse textão enorme. Também vou tentar não demorar para escrever um próximo texto mas é que preciso de ideias e agora sobretudo falta um pouco de tempo. Espero que curtam e qualquer dúvida, elogio, sugestão ou complemento é só me avisar! Manda um e-mail ou deixa um comentário! Um forte abraço e até a próxima!

Anúncios

9 comentários sobre “Assassin’s Creed: Um tanto de fantasia mas não muito longe da realidade

  1. jogando Assassin’s Creed 1 no final do game queria você olhasse com aquela visão (de raio-x eu acho) depois de sair do animus, vai aparecer vários símbolos illuminati ou maçon inclusive a Yonaguni (são um conjunto de estruturas arquitetônicas descobertas na ilha japonesa de Yonaguni por volta de 1987)… queria também deixar meu palpite… será que yonaguni tem alguma relação com os illuminati? … bom fora isso seu texto ficou ótimo e gostei muito obrigado

    Curtir

  2. Sou apaixonado por esse jogo e a história, o enredo em geral. Muito bom o seu texto, e desejo deixar uma dúvida em relação ao símbolo do jogo que é bem familiar com o símbolo da ” Maçonaria” (Compasso e uma pequena Régua). Teria alguma explicação ou alguma mensagem oculta na criação deste símbolo do jogo com a Maçonaria?
    Quem tenta ligar a Ordem dos Templários (Sagrada Ordem dos Pobres Cavaleiros Companheiros de Cristo e do Templo de Salomão) e a Maçonaria, comete a ignorância de desconsiderar o lapso de tempo que existe entre a extinção dos Templários (1314) e o surgimento da Maçonaria Especulativa (1460). São quase 150 anos de afastamento.
    A Maçonaria moderna faz algumas homenagens aos Templários, por sua bravura e fidelidade, mais uma dúvida essa, pois os mocinhos do jogo são os Assassinos, e os vilões são os Templários, em suma o símbolo não poderia ser da Maçonaria, acredito eu.
    Não acredito que o símbolo só foi criado em forma de “A” por causa da inicial palavra “Assassin’s”.
    Mas para toda criação existe uma explicação em termos, né hehe!
    Agradeço desde já pela atenção.
    By: Hans

    Curtir

    • Oi Hans, muito obrigado pelo elogio! Pelo que eu pesquisei sobre o logo, acabei achando uma teoria muita interessante, que fala que o símbolo dos Assassinos foi inspirado em Alfa e Ômega. É um símbolo em que a letra A faz uma fusão com a letra Ômega, do alfabeto grego. As duas letras são a primeira e a última deste alfabeto respectivamente, representando o começo e o fim. O único problema é que essa teoria acaba indo por água abaixo na minha opinião pois é um símbolo cristão! Como os Assassinos são muçulmanos, ao menos no primeiro game, achei que tal teoria não se encaixa muito bem, apesar do logo ser super parecido.

      No final das contas acredito que tenha servido como base para criar o logo do game mesmo, mantendo apenas o A para associarmos com a Ordem dos Assassinos do game.

      =]

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s