The Warriors: a verdadeira história sobre gangues

The Warriors

The Warriors é um filme cult dos anos 70 que é referência na cultura hip-hop e também na cultura pop. Inspirado no livro homônimo de Sol Yurick, The Warriors levou para os cinemas a cultura das gangues dos subúrbios de Nova York.

Após serem acusados injustamente de matarem Cyrus, líder da maior gangue da cidade, após um encontro com todas as gangues da região, os Warriors devem correr dezenas de quilômetros, passando por diversas estações de trem e territórios para chegarem sãos e salvos em sua área, Coney Island.

Como se trata de um livro-que-virou-filme-que-virou-game, vou comentar sobre a obra no geral ok? Se preparem que esse post só tem coisa boa!

O livro

Sol Yurick

The Warriors é uma novela escrita em 1965 por Sol Yurick. Inspirado por Anábase, obra militar escrita por Xenofonte na Grécia Antiga, Yurick fez uma analogia entre os soldados gregos que marchavam de volta para Grécia com os jovens deliquentes que conheceu na época em que trabalhou como assistente social. Esse jovens faziam parte de gangues e Yurick viu uma certa semelhança entre eles e os soldados gregos.

The Warriors Book

O livro conta a história da gangue Dominators, também de Coney Island, que estão prestes a comparecer ao grande encontro promovido pelo líder dos Tronos de Delancey, Ismael Rivera.  A proposta do encontro é apaziguar a rivalidade entre todas as gangues da região e unificá-las com o propósito de dominar a cidade. Fora esse pedaço o livro segue uma direção bem diferente do filme, apesar de alguns acontecimentos nos lembrarem imediatamente de certas cenas. Os membros da gangue são outros também, mas é inevitável alguns deles não nos lembrarem certo Warriors por conta da personalidade.

A história é bem mais pesada em seus acontecimentos, retratando bem o comportamento de uma gangue. Violência a troco de nada ou pouca coisa apenas para fazer fama ou ganhar respeito através do medo. A parte psicológica também é bem explorada, jogando luz sobre as motivações do porquê fazer parte de uma gangue e quais os reais desejos, anseios e medos de cada integrante.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Em 2015 a Darkside Books lançou o livro aqui no Brasil, até então inédito. A capa é exatamente o emblema do colete dos Warriors e dentro do livro temos uma arte com o mapa do metrô de Noya York. Também há uma entrevista de Yurick explicando como foi o processo criativo para escrever a obra e suas impressões quando lançaram o filme em 1979. Vale cada centavo.

O Filme

photo-002

Lançado em 1979 e dirigido por Walter Hill, The Warriors é marcado por retratar a cultura das gangues quanto aos seus códigos de vestimenta, território e a lealdade e função de cada membro. A repercussão do filme foi tanta que em seu lançamento foram noticiados atos de vandalismo, além de um homicídio. Hill destacou em uma entrevista que tais acontecimentos ocorreram por conta de membros de gangues diferentes se trombarem nas sessões de cinema, aí já viram né?

The Warriors Cunaxa

O filme tem uma proposta mais direta e acaba respeitando o conceito original de Sol Yurick, que se inspirou em Anábase: Os Warriors devem voltar  para casa cruzando diversos territórios inimigos. Há uma resmasterização do filme em que a cena inicial conta um pouco sobre a Batalha de Cunaxa, parte da obra de Xenofonte.

The Warriors Cyrus

Outra referência de Anábase é o personagem Cyrus, líder da gangue Gramercy Riffs. No livro, Cyrus é na verdade Ismael Rivera, personagem claramente latino (bem provável que seja porto riquenho). No caso do porquê Ismael ter virado Cyrus no filme claramente é uma referência a Ciro, o Jovem, príncipe persa que contrata o Exército dos Dez Mil afim de tomar o império persa de seu próprio irmão.

O Game

The Warriors PS2

Em 2005 a Rockstar Games, produtora de grandes jogos como Grand Theft Auto, Max Payne, entre outros lançou The Warriors  exclusivamente para Playstation 2 e mais tarde para PSP e Xbox. Recentemente foi lançado também para download no PS4. O game conta a história do filme um pouco antes do grande encontro, estendendo-a bastante e mostrando como a gangue foi criada e como os principais membros entraram nela. Também é dada uma atenção maior para com as outras gangues, com mais riqueza de detalhes sobre seus membros e rivalidades.

The Warriors PS4

Para quem apenas assistiu o filme a violência do jogo chega a ser excessiva, passando um pouco da conta. Depois de ter lido o livro eu achei ela bem acertada não apenas porque é um jogo da Rockstar, mas um game sobre gangues que honra a atmosfera do livro. Também é mesclado alguns elementos de outros games da produtora, como Manhunt e até mesmo GTA San Andreas.

The Warriors Clubhouse

Como citei anteriormente a história do game expande o universo do filme. Por conta disso vemos um protagonismo maior por parte de Cleon, líder dos Warriors e de como ele fundou o grupo ao lado de Vermin. Também conhecemos a sede da gangue, que funciona como savepoint. No livro de Yurick os Dominators também tem a sua própria sede, graças aos esforços de um assistente social que atua como guardião do grupo. Acredito que os Warriors terem uma sede no game representa também esse detalhe do livro.

Origens e cultura hip-hop

rubble kings

De letras de música a campeonatos de break, The Warriors teve uma grande influência na cultura hip-hop e na cultura pop. Frases como “Can you dig it?” ou “Come out to play” se tornaram famosas e são usados nos mais diversos lugares, como em letras de rap e até mesmo games.

Em 2015 foi lançado o documentário Rubble Kings, que explica as origens das gangues das periferias de Noya York em todo o seu contexto social e cultural. Contado sob a perspectiva de “Yellow” Benjy Melendez e Carlos “Karate Charlie” Suarez, fundadores da Ghetto Brother, umas das maiores gangues da época, eles explicam como um desastroso projeto urbano no sul do Bronx, assim como o assassinato de figuras históricas como Marthin Luther King, Malcom X e John F. Kennedy, contribuíram com a onda de violência que marcou os anos 70. Também são convidados membros de outras gangues para contar sobre os fatos da época, enriquecendo ainda mais o documentário.

Hells Angels2

Também é explicado o conceito dos uniformes das gangues. A ideia foi copiada basicamente dos Hells Angels, clube de motociclistas surgido na década de 50. Agora sim faz sentido os uniformes dos Warriors lembrarem tanto o de um clube de motocicletas não?

Yellow Benji

Através da influência que os Ghetto Brothers tinham na época, o grupo procurou promover a paz entre as gangues prezando a união e promovendo-a através da música. Tais acontecimentos junto com outras tendências e figuras como o Dj Kool Herc, culminaram na criação do movimento hip-hop, promovendo a paz, união, amor e diversão.

Ghetto Brother Uma Lenda do Bronx

Em 2016 a editora Veneta lançou a HQ “Ghetto Brother – Uma Lenda do Bronx”, contando a história do grupo de quando eles estavam prestes a promover um banho de sangue na cidade, em retaliação a um de seus membros que foi covardemente assassinado. Infelizmente não tive a chance de ler ainda.

Como citei anteriormente, dezenas de letras de músicas fazem referência ao filme The Warriors. Alguns bons exemplos são “California Love” de 2pac, com um discurso estio Cyrus no videoclipe ou o som “Shame on a Nigga” do Wu Tang Clan.

Também existe um evento anual de hip-hop na Holanda chamado  The Notorius IBE . Em algumas edições o evento promovia batalhas de break entre os melhores bboys de cada continente, formando supertimes e antes de iniciar algumas batalhas os mcs faziam uso da tão famosa frase de Cyrus:

The Warriors atualmente

Em 2015 a Rolling Stone produziu uma matéria bem legal sobre os “Guerreiros” visitando o evento “The Warriors Festival”, mostrando um pouco sobre como o filme impactou a cultura local de Coney Island, além de fazer um reencontro com a gangue para revisitar alguns cenários do filme. Infelizmente não foi possível reunir todos os membros como Snow (Brian Tyler) e Ajax (James Remar), tampouco Rebramdt (Marcelino Sánchez) que faleceu em 1986. James Remar, ou Ajax,  foi o que mais vingou como ator aliás, fazendo papéis em filmes como Django Livre e no seriado Dexter.

Vocês podem conferir a matéria da Rolling Stone neste link (não consegui incorporar, me perdoem): http://www.rollingstone.com/movies/news/watch-the-warriors-recreate-their-last-subway-ride-home-20150923

Papo Furado

E assim termina mais uma postagem galera. Confesso que essa foi uma das que eu mais me diverti escrevendo. Gosto bastante da cultura hip-hop e The Warriors é um dos meus filmes favoritos. Recentemente anunciaram que vão fazer um seriado exclusivo pro serviço de streaming Hulu. Sinceramente tô bem com o pé atrás e vocês?

De qualquer forma espero que tenham gostado e mandem sugestões para mim! Um abração e até a próxima!

Anúncios

2 comentários sobre “The Warriors: a verdadeira história sobre gangues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s